» O caipira que o povo adora

O caipira que o povo adora

Emilio Orciollo Netto se destaca na novela das seis vivendo o engraçado Crispim, seu primeiro personagem cômico na TV.

Por Carla Bittencourt

Muita gente se surpreendeu. Na pele de Crispim, em “Alma Gêmea”, o Emilio Orciollo Netto em nada lembram os italianos Giuseppe, de “O rei do gado”, em 1996, e Marcello, de “Esperança”, em 2002, seus personagens mais marcantes.

Para mim é uma vitória, porque estou fazendo algo completamente diferente. Cheguei a ficar com receio de só fazer italianos” – diverte-se Emilio, de 31 anos.

Com o jeca mais simpático de Roseiral, Emilio tem experimentado situações cada vez mais inusitadas. Acena em que Crispim fez xixi na calça ao beijar Kátia (Rita Guedes) arrancou gargalhadas de todos até no estúdio.

Sempre fiz tipos mais dramáticos. Por isso, é uma oportunidade de mostrar o outro lado. Crispim é um anti-galã. Ele ainda vai aprontar muito para conquistar Kátia.

Ciúmes na vida real

Na trama de Walcyr Carrasco, Crispim vive no pé de Mirna (Fernanda Souza), mas na vida real, é Emilio quem precisa lidar com o ciúmes de Giovanna, sua única irmã.

Eu nunca impliquei com ela, mas Giovanna tem muito ciumes de mim. Mas é um sentimento cuidadoso e saudável. Hoje, ela é casada, então nem fica muiito no meu pé” – brinca Emilio, que é três anos mais velho que a irmã.

Já a vida no campo e com contato com animais não são novidade para o ator, que cresceu em São Paulo e passou parte da infância em cidades do interior, como Capivari (SP) e Lamabri (MG):

Crispim não é tão caricato assim. Conheci vários homens como ele.

Contato:
Emilio Orciollo Netto colocou no ar seu mais recente xodó: o site www.emiliorciollonetto.com.br. O Site oficial do ator tem espaço para os fãs se corresponderem com ele: “Eu procuro ler e responder a todas as mensagens“.

Parceria:
O ator já havia trabalhado com Walcyr Carrasco na reta final de “Esperança”, quando o autor substituiu Benedito Rui Barbosa, afastado da trama por doença.

Reconhecimento:
Emilio Orciollo festeja o fato de que as pessoas na rua já o chama pelo seu nome: “Já não me confundem mais com o personagem. Isso é ótimo“.

Química
Sobre sua parceira de cena, Fernanda Souza, Emilio é só elogios. “Ela é uma atriz maravilhosa. Nunca tínhamos trabalhado juntos, mas temos um química ótima”, conta.

Inspiração veio de Mazzaropi

Para compor Crispim, Emilio teve aulas de prosódia, mas o ator se inspirou mesmo no comediante Mazzaropi.

Vi quase todos os filmes dele. Um dos meus preferidos é o “Marvada carne”. Eu queria falar como ele. Crispim é um jeca sem pudor – diz o ator.

Além dos filmes, Emilio também se sentou em bancos de praça do interior de São Paulo para ouvir o povo falar.

Eu ficava só observando o jeito arrastado com que a galera do interior fala. O bordão “Ô Miiiirna!” é totalmente crível. Minha ideia não era de fazer graça porque a situação e o jeito de falar deles já são engraçados. Eu não queria que ele tivesse esteriotipos – explica Emilio.

Luzes no cabelo

Vaidoso, Emilio precisou fazer luzes no cabelo para parecer queimado de sol. Mas o ator garante não ter nenhum problema em interpretar um jeca sem o menos charme na trama de Walcyr Carrasco.

Gosto de estar bem vestido, arrumado. Mas para esse personagem, eu tive que me despir de qualquer vaidade. Não cabia querer ficar bonitinho em cena – diz.

O ator, agora, sonha em fazer um vilão: – Já sei o que é ser amado nas ruas porque Crispim é um sucesso. Agora, quero ser odiado, levar bolsada. Espero conseguir fazer um vilãozão logo.

Topo