» Elenco de E aí… Comeu? fala da comédia sobre relacionamentos amorosos em SP

Elenco de E aí… Comeu? fala da comédia sobre relacionamentos amorosos em SP

Elenco de E aí… Comeu? fala da comédia sobre relacionamentos amorosos em SP

A aposta é alta. A comédia E Aí… Comeu? chega aos cinemas em 22 de junho apostando todas suas fichas num possível êxito de bilheteria que reverta o fraco desempenho dos filmes nacionais neste primeiro semestre. A produção será lançada em 550 salas de todo o país com o propósito claro de atrair as massas e ultrapassar a marca de um milhão de espectadores, feito que nenhuma produção brasileira conseguiu este ano.

Bruno Mazzeo, ator e produtor do longa, prefere não assumir a responsabilidade. “Quanto mais pessoas assistirem ao filme, melhor, claro. Mas não encaro essa responsabilidade de mercado, de ser o primeiro a levar mais de um milhão às salas. Se chegarmos lá será ótimo ”, diz Mazzeo, que se reuniu à equipe do filme em São Paulo, na tarde desta segunda-feira, para divulgar o longa.

Dirigido por Felipe Joffly (Ódiquê), o longa se concentra na vida de três amigos de bar: Fernando (Bruno Mazzeo), Honório (Marcos Palmeira) e Fonsinho (Emilio Orciollo Netto), que juntos procuram entender o papel do homem diante da mulher conteporânea após o fracasso do casamento de um deles.

Marcos Palmeira acredita que o filme vai criar fácil identificação com o público por sua temática universal. “Eu já estive naquelas situações todas. Já estive casado querendo separar e separado querendo casar. Acho que as pessoas vão sair da sala pensando, valorizando mais seus relacionamentos”, avalia o ator. Seu personagem é um tipo machão à moda antiga. Casado com a independente Leila (Dira Paes), o jornalista suspeita que está sendo traído.

Articulada e falante, Dira Paes aposta no sucesso do longa e acredita que fazer comédia no Brasil é um risco, pois nunca se sabe qual será a reação do público. “Fazer comédia é uma ousadia e lançá-la num período de forte concorrência com filmes estrangeiros é ainda mais arriscado. Eu sonho que esse filme faça três milhões de espectadores, que seja bem-sucedido como foram De pernas pro Ar e Se eu fosse Você. Temos de lutar por nosso mercado”, desabafa a atriz, que classificou a moderna Leila como uma persoanegm próxima de sua realidade. “Eu tenho traços marcantes do estereótipo da brasileira. A gente tem a necessidade de estereotipar, de classificar as pessoas. E para um ator a diversificação é tudo o que a gente quer. Eu quero que o público também me veja como uma mulher contemporânea”, revela.

Topo